Quem chamar?

Quem chamar?

Postado em 4/11/2014

Docinhos, bebidas, decoração, espaço… Para decidir todos os detalhes da festa de casamento, é preciso saber de antemão quantas pessoas serão convidadas para a celebração. É hora de fazer a lista de convidados! Por mais divertido que seja o momento, pode render algumas dores de cabeça, como a lista de convidados.

Por onde começar

Não tem jeito: a lista deve ser elaborada a partir do budget do casal. Por esse motivo, é recomendado partir de uma quantidade modesta de convidados. Mais tarde, com os preparativos já pré-definidos, se o casal perceber que existe sobra de orçamento, então a lista poderá ser ampliada.

A melhor alternativa para dar início à listagem de nomes é começar pelas pessoas mais próximas dos noivos, que não podem ficar de fora da celebração. Depois, é hora de anotar os nomes dos parentes. Uma dica é começar pelos bisavós, em seguida pelos avós, tios, primos, padrinhos e amigos. Outra forma eficaz é elaborar a listagem em ordem alfabética, para garantir que não haja repetição de nomes. Dessa maneira, fica mais fácil conferir se não faltou alguém.

Vale ressaltar que, em média, de 10 a 20% dos convidados faltam ao casamento, mas não é indicado usar a margem para aumentar a quantidade de nomes do papel. Se mesmo assim o casal decidir fazê-lo, então o aumento deve ser de cerca de 5% para evitar possíveis problemas.

Evite!

Se o casal optar por fazer a lista separadamente para depois juntar numa só, é bom saber que o método é problema na certa. Além de muito mais extensa, a listagem final ficará, provavelmente, fora do orçamento. É essencial que o casal avalie de forma conjunta quem deve ser chamado e quem pode ficar de fora. Outro equívoco é acrescentar nomes no papel por protocolo. Essa prática faz com quem pessoas mais importantes fiquem de fora para ceder espaço a alguém que não é essencial.

É importante ter em mente que a festa é do casal, e não dos pais. Eles podem querer convidar aquele amigo de longa data, mas que não significa muito para o casal. Nessa hora, é bom sentar para conversar e explicar a questão do limite colocado pelo orçamento.Mesmo assim, é um gesto educado reservar uma cota da lista para que eles convidem pessoas do seu círculo de amizades.

Acompanhantes?

Como a maioria das pessoas não costuma ir desacompanhada a casamentos, a grande questão é: se eu chamar uma amiga próxima, preciso convidar também o namorado dela que mal conheço? Não necessariamente. Se o número de convidados estiver no limite, vale explicar para a amiga o porquê da falta de acompanhante. Mesmo assim, ainda existe o risco de ela ficar chateada e não comparecer ao evento.

A questão também se aplica a família do convidado. Se os noivos são próximos de determinada pessoa, mas conhecem sua família só de vista, então não há motivo para incluir todos os familiares no convite.

Comentários ()