De véu e Grinalda

De véu e Grinalda

Postado em 4/11/2014

Formato do rosto, estilo do vestido, tipo do corpo: esses são alguns itens que influenciam na escolha do véu da noiva.  Além de compor o visual da estrela do dia, a peça ainda colabora para enfatizar o estilo de casamento escolhido. Sabendo que o véu pode fazer toda a diferença, o grande segredo é saber como tirar vantagem do acessório, que pode se tornar aliado e também inimigo.

Qual véu?

O modelo mais tradicional e queridinho das noivas é o Véu Catedral. Bastante longo, ele se arrasta sob o traje da noiva, possuindo o mesmo comprimento da cauda do vestido. Já o Véu Médio é uma boa opção para quem quer utilizar uma peça que chame a atenção, mas sem exageros. Ele costuma ficar entre o cotovelo e a ponta dos dedos da noiva, no meio termo entre longo e curto. Já o Véu Curto, ou “ombro”, se estende, como o nome já diz, até os ombros da noiva. Pelo tamanho diminuto, ele deixa o visual bem leve, por isso combina com vestidos curtos e de verão. É o modelo ideal para cerimônias realizadas sob a luz do dia, devido ao pouco peso que ele acrescenta ao visual.

O Voilette é um tipo de véu ainda mais curto que o Véu Curto. Geralmente preso em um chapéu, flor, ou outro acessório de cabelo, ele cobre o rosto da noiva. Em alguns casos, ele não chega a cobrir a totalidade da face, mas apenas uma parte dela.

A Mantilha, por sua vez, é caracterizada por ser feita a partir de um tecido bem mais pesado, basicamente de renda. Para as noivas que pretendem fazer uso do acessório, é importante não pecar pelo excesso. O ideal é usar a peça com vestidos clássicos, lisos e com pouco ou nenhum detalhe. Se o vestido também for de renda, então é fundamental que seja a mesma da mantilha, para uma não “brigar” com a outra.

Um pouco diferente dos demais, o Casquete é um chapéu pequeno, geralmente usado levemente de lado, com algum arranjo e grampos. É uma opção mais trabalhada que chama a atenção para o rosto da noiva.=

Rosto x Véu

Para cada tipo de rosto, um tipo de véu. Embora não seja regra, formatos específicos de rostos costumam se adaptar melhor a tipos determinados de acessórios.Noivas de rosto oval, por exemplo, podem usar qualquer tipo de véu, assim como cortes de cabelo e maquiagens. Não há restrições para elas. Já as noivas de rosto quadrado precisam tirar os véus curtos da lista de opções. Para esse formato, é importante suavizar a linha do queixo, e a melhor opção para isso é o véu mais longo.

Noivas de rosto redondo podem optar por véus médios ou compridos, contanto que não haja volume próximo ao rosto, para não acentuar o formato redondo. O ideal, nesse caso, é deixar a peça cair nas laterais do rosto para proporcionar um efeito mais vertical. As futuras casadas de rosto longo podem usar sem medo o véu longo em camadas, complementando com acessórios para cabelos e testeiras, que tendem a diminuir a testa. Para as noivas de rosto triangular, por outro lado, ente as melhores opções está o véu curto. É importante nesse caso que o volume do acessório esteja na parte superior, como nos ombros ou na altura do queixo, para equilibrar o look.

Outro ponto importante é a combinação do penteado com o véu. É essencial que a prova do penteado seja feita já com a peça, para evitar imprevistos. Se a noiva optar por usar arranjos como grampos, tiaras ou testeiras, o ideal é certificar-se de antemão de que tais peças não enroscarão no véu.

bride-187936_1920-680x1097

Tags: , ,

Comentários ()